sábado, 11 de junho de 2016

TEM NA NETFLIX: O MARAVILHOSO AGORA


Em um primeiro momento, "O Maravilhoso Agora" me soou bastante como um "romancetinho adolescente" feito exatamente para os que estão na fase de "eu não sei quem eu realmente amo", onde a trama foi adaptada de um livro (que foi escrito por Tim Tharp). Porém é apenas mais um caso de marketing forçado pela produtora, pois em seu elenco temos grandes nomes que ainda estava começando a carreira no cinema, dentre eles a recente ganhadora do Oscar, Brie Larson (por "O Quarto de Jack"), Mary Elisabeth Winsted (que arrasou em "Rua Cloverfield, 10") e Miles Teller (que faz o vilão/bobão da série do "Detergente") e seu par amoroso aqui é justamente a sua colega neste, Shailene Woodley. E não, este filme não é como "A Culpa é das Estrelas", porém a história chega cativar por N momentos em sua narrativa.


A trama tem inicio com o adolescente Sutter (Teller), que não liga pra escola e sequer saber o que vai fazer no futuro. As únicas coisas que realmente importam pra ele é "viver o agora", onde ele namora a bela Cassidy (Larson), sai causando com os amigos e tem um trabalho estável. Porém constantemente ele  prefere deixar sua vida em segundo lugar em prol de ajudar as pessoas que sempre vem lhe pedir alguma ajuda, ou demonstram ter problemas pessoais. Só que tudo muda, quando Cassidy o chuta porque simplesmente vai tomar um novo rumo na vida dela, e Sutter acaba literalmente perdendo mais as estribeiras. Só que nesse meio tempo depressivo, ele conhece a tímida Aimme (Woodley). Aos poucos ele começa a descobrir mais sobre ela e começa a repensar em suas atitudes, graças ao amor que floresce entre os dois.


A direção de James Ponsoldt nos apresenta todos os arcos em doses homeopáticas, onde nos da um breve tempo para nos familiarizarmos com Sutter, antes de lançar todas as informações a respeito do personagem. Onde a narrativa acaba remetendo um pouco ao ótimo "As Vantagens de Ser Invisível", inclusive. Não existia escolha melhor para viver Sutter e Aimme, do que Teller e Woodley, pois ambos esbanjam completa naturalidade em seus personagens e no andamento da trama vamos nos apaixonando cada vez mais pelos dois personagens, pois eles simplesmente esbanjam o que é necessário para ter um namoro estável hoje em dia: amor, amizade e principalmente companheirismo. Claro, também há uns breves momentos onde a dupla exerce ótimas sequencias dramáticas com Winsted e principalmente com Larson.

Ao término de tudo isso, vejo que não poderiam ter escolhido dupla melhor para adaptar esta obra do que Scott Neustadter e Michael H. Weber (que também foram responsáveis pelos ótimos "500 Dias com Ela" e até do próprio "A Culpa é das Estrelas"). A dupla parece que sabe e viveu as sequencias, pois eles realmente sabem emocionar o público que assiste estas três películas em seus desfechos (sim eu chorei nos outros dois e neste pelo qual vos comento). "O Maravilhoso Agora" é uma das surpresas que somente o aplicativo Netflix pode nos fornecer (com facilidade) neste 12/06. RECOMENDO E FELIZ DIA DOS NAMORADOS!     

Nota: 10,0/10,0
Imagens: Reprodução da Internet


Um comentário:

Carmen Arroyo Flores disse...

Para mim o trabalho de Miles Teller é de calidade. Gosto assistir filmes do gênero de drama e ancho que sem dúvida emocionei quando vi Homens de Coragem trailer, e umo dos melhores que estreou o ano passado com Miles Teller, sabendo que foi baseado em eventos reais me deixa impactado. É impossível não se deixar levar pelo ritmo da historia, o elenco é perfeito e fez possível a empatia com os seus personagens em cada uma das situações. Sem dúvida a veria novamente.

Postar um comentário